Category Archives: Música

Cenografia Urbana

De 7 a 14 de Outubro a Estação Fluvial em Cacilhas vai receber uma verdadeira rádio pirata, no âmbito da componente Cenografia Urbana  «A Voz do Farol – sentinela do Tejo», com os Oquestrada a transmitir música exclusivamente para quem aguarda o barco na estação.

cofinanciamento
VF_poster_A1_08small

Em Cacilhas, há um farol que, nos anos 80, viajou para os Açores e por lá ficou uns tempos. Em Cacilhas, há pessoas que todos os dias atravessam o Tejo para trabalhar em Lisboa e por lá ficam parte do dia. Entretanto, o Farol regressou a Cacilhas. As Pessoas regressam todos os dias à Margem Sul.
Em Almada, há uma pequena orquestra de bairro de nome OqueStrada que canta a Grande Lisboa, há anos a viajar por estradas nacionais e internacionais, e que regressa sempre a esta margem sob o lema Partir para Regressar.
OqueStrada aguardava há muito o regresso do Farol. Assim, através da Piajio Associação Cultural no âmbito da componente Cenografia Urbana, dá-se Voz ao Farol de Cacilhas que põe no ar, de 7 a 14 de Outubro, uma rádio pirata, «A Voz do Farol – sentinela do Tejo», a transmitir exclusivamente para as salas de espera da estação fluvial, fazendo companhia a quem aguarda o barco.
Para a inauguração, no dia 7 de Outubro, «A Voz do Farol – sentinela do Tejo», atravessa o rio, ao final do dia, para esperar no Cais do Sodré quem regressa de mais uma semana de trabalho, e escoltar as Pessoas a casa com um mini concerto numa travessia musical”

 

Organização:
Piajio Associação Cultural
Projecto Co-Financiado pelo QREN e com Apoio da C.M.Almada, Direcção de Faróis, Grupo Transtejo, Grupo Desportivo da Mouraria e Antena 1,
no âmbito da componente Cenografia Urbana

Entrada livre de 7 a 14 de Outubro 2011

Horário
18h30 – 20h30

 

Local
Estação Fluvial de Cacilhas
Farol de Cacilhas
informações:
Piajio Associação Cultural
Tlm.: 96 619 02 98
Tlm.: 96 465 28 28
E-mail: piajio.info@gmail.com
Sítio: http://www.piajio.org/

web_Flyer_Back

cofinanciamento

 

 

INCRÍVEL TASCA MÓVEL – A Tasca das Tascas » 1,2 e 3 Out – Lisboa // 8 e 9 Out – Almada



Abençoada por colectividades, filarmónicas, feiras e arraias, esta tasca-concerto a céu aberto é uma Sala d’Star para  receber amores d’Strada,  estimados artistas,  protagonistas de um singular e ousado  imaginário português.

Nesta tasca incrível cruzam-se  um fadista pugilista, uma acordeonista do oeste português, um contrabaixo feito de uma corda só, uma guitarra portuguesa que ri, uma cadeira bateria, uma mini filarmónica “on acid.

Espectáculo a não perder com actores e músicos que rasgam a fronteira do palco numa relação directa com o público.

Não tenha vergonha! Não tenha medo!…e pise o palco mais democrático do mundo: a Rua!

– 1, 2 e 3 de Outubro, Praça D. Pedro IV (Rossio) Lisboa

– 8 e 9 de Outubro, Largo Gabriel Pedro (Largo do Tribunal) Almada

A noite é nooossa ….

As actuações têm início às 21h00.

Entrada Livre.

O recinto da Incrível Tasca tem capacidade para  300 pessoas, com 200 lugares sentados e 100 em pé. Para aceder ao seu interior terá que ser levantada uma senha, junto ao local de actuação.

As senhas serão facultadas no dia das actuações das 18h às 20h30.


INCRÍVEL TASCA MÓVEL

a Tasca das Tascas

A Incrível Tasca Móvel a tasca das tascas regressa a Lisboa nos dias 10 e 11 de Setembro, a convite de TODOS caminhada de culturas, para inflamar o coração da cidade e com ela, OqueStrada, um segredo bem guardado…

Bem vindos à Incrível Tasca Móvel

Onde a cultura é de ouro quando aproxima as Pessoas!

Acção, mistério, fugas e amor na Mouraria

uma desgarrada com o  mundo a 360º

glamour popular!

maestros de filarmónicas,

fadistas pugilistas,

moços de pista,

princesas do acordeão

vozes de este a oeste

aqui uma sardinha pode valer 1 leilão

A noite é nooossa !


A Incrível Tasca Móvel estreou no Porto em 2006 e afirmou, no tórrido verão de 2007, durante 3 noites ao rubro em Belém, o seu olhar pioneiro sobre a actual cultura portuguesa.

Contexto

Com inspiração no universo das tascas, dos bailes e na longínqua força das colectividades a Piajio associação cultural concebeu: A Incrível Tasca Móvel, entre a sala de estar e a festa popular, esta instalação é composta por estruturas metálicas que se debruçam sobre o espaço suportando lustres e gambiarras numa dança de classes.?Pensada desde 2001, com a chegada de uma nova vaga económica, a tasca das tascas anseia celebrar uma cultura genuína em vias de extinção.?Gerada na margem sul do Tejo, entre 2004 e 2007, esta obra única de ferro e luz, foi afinada para desbravar caminhos entre tradição e inovação, entre arte e copos de três, entre fado e circo, entre épocas e lança o conceito de Tasca-Concerto.?A Piajio associação trabalha, desde 2001, criações no espaço urbano sobre temas como o pequeno comércio e o subúrbio enquanto espaço de fronteira. Nos últimos cinco anos teve como mote o universo das Tascas e o que este poderá simbolizar num futuro próximo enquanto referência cultural. Lançou-se assim a saga das Tascas com O’queStrada e o espectáculo TascasTour (2002), Café Cantante (2005), espectáculo com fadistas do fado subterrâneo lisboeta.

A entrada é de graça! O espectáculo é ao ar livre e é necessário levantar uma senha

Para mais info consultar:

http://todoscaminhadadeculturas.blogspot.com/

ou www.piajio.org

Incrivel Tasca Movel
www.piajio.org
www.oquestrada.com
p’la Piajio associação cultural
00351 914864105

incriveltasca@gmail.com

Incrível Club palco do "JAZZ nos Capuchos 2009"

 

4 de Junho, quinta, às 23h45
“L.A. Jumping Pulgas”

Lars Arens – trombone, eufónio, composição
Mário Delgado – guitarra
Bernardo Moreira – contrabaixo
Bruno Pedroso – bateria

No repertório deste grupo luso-alemão, abandona-se o conceito musical do jazz tradicional, em que um tema é composto pela melodia que se faz acompanhar por uma estrutura harmónica seja funcional ou modal, que a seguir serve também como forma para os improvisos.
Ao contrário de outros pequenos grupos de jazz convencionais, na música deste quarteto é a composição e o arranjo escrito que ganham mais espaço, sendo elementos preponderantes nos temas, exclusivamente originais – sem todavia restringir as várias partes do improviso.

 L.A. Jumping Pulgas

5 de Junho, sexta, às 23h45
“Daniel Levin Quartet”

Nate Wooley – trompete
Daniel Levin – violoncelo
Mat Moran – vibrafone
Peter Bitenc – contrabaixo

Com carácter de câmara (sem bateria, o que lhe dá maior liberdade ao nível da gestão dos tempos, dos espaços e das dinâmicas) e vocação improvisacional, o Daniel Levin Quartet alia as configurações do jazz com as perspectivas que nos chegam da música erudita desde Anton Webern. A esse molde adiciona ainda uma sólida aplicação das técnicas extensivas de exploração dos instrumentos em presença, ampliando assim as possibilidades da música que pratica.

O curioso é que as partituras-base do quarteto são escritas pelo violoncelista Daniel Levin tendo a voz como referência e não o seu cordofone, o que em muito contribui para a dimensão humana e orgânica do projecto.

E bem servido este está: nos EUA, Levin conta apenas com a concorrência de Fred Lonberg-Holm, Erik Friedlander e Tomas Ulrich nos domínios da improvisação, Nate Wooley impôs-se como um inovador radical do trompete, Matt Moran é conhecido por ter expandido a paleta sonora do vibrafone de forma muito pessoal e Peter Bitenc é o exemplo acabado do contrabaixista que atravessa fronteiras de estilo e idioma. Com tal junção de cabeças e talentos o inevitável, decerto, acontecerá: um grande concerto. 

jazz-nos-capuchos_2009


Local

Incrível Club (antigo Cine-Teatro da Incrível Almadense)
Rua Capitão Leitão nº1, Almada Velha
21 274 2900 | 96 619 0298 | 96 465 2828
piajio.info@gmail.com 

Mais Informação: www.jazznoscapuchos.com